Solstício de I N V E R N O - Reflexão

11:56 AM


YULE (Tradição Nórdica) - INTI RAYMI /MACHAQ MARA (Andes) - ALBAN ARTHUAN  (Celta) 

O Solstício de Inverno
(HS) 21 de Junho
(HN) 22 de Dezembro 

O Solstício no mês de Junho marca o início do Inverno para nós, brasileiros.
Aqui no Sul, é a chegada dos tempos frios e gelados, das temperaturas perto de zero, de quentão e de pinhão. Eu particularmente gosto muito do inverno (na verdade, de todas as estações), o inverno traz essa sensação de acolhimento e recolhimento. Me torno muito mais oracular e introspectiva no inverno. É o movimento natural da Natureza.

No Solstício de Inverno o Deus nasce do Ventre da Mãe. O Senhor do Sol nasce no inverno, ele é a Criança da Promessa, a prova viva do amor dos Deuses, que não nos abandonam. O Deus Ancião que envelhecera em Mabon, esperava pela morte em Lammas e morrera em Samhain, agora renasce como a pequena Criança da Luz. O Sol nasce na noite mais longa do ano, mas ainda é jovem e amadurecerá seu calor e seu poder com o decorrer das estações, até retornar ao seu "início-fim". Mas por enquanto, é um belo e bem-aventurado bebê, nascido de Sua Mãe e Sua Esposa.

Cada vez mais afastados da Natureza, mal damos importância ou observamos as mudanças das estações em que estamos, fato esse tão importante para os nossos ancestrais, que construíram a nossa religião de hoje. O inverno só nós é notado quando o frio nos incomoda, então reclamamos dele. E o verão só nos interessa para aproveitar um dia ensolarado na praia ou na piscina. Dias quentes e abafados? Reclamamos deles também. Então criamos aquecedores elétricos para disfarçar o frio, e ares-condicionados para esfriar-nos no calor.

Nós não vivemos realmente as estações. E, baseados nessa realidade moderna, temos de trazer á tona os tempos e costumes antigos que nos traziam uma reflexão maior sobre os ciclos da Terra. O dever do pagão é respeitar e olhar pela Terra. O Paganismo foi criado baseado nela, e dela não pode ser desvinculado. 
O mar, as plantas, os animais, tudo se relaciona com o sol e com a lua. Temos ciclos biológicos, nosso corpo funciona diferentemente em cada estação e fase da lua. No verão os animais acasalam e criam seus filhotes, os campos verdejam e brotam flores, as pessoas saem de casa para se divertir ao sol, somos mais agitados e criativos, mas também o excesso do fogo, elemento que rege o verão, pode nos trazer raiva, estresse e impulsividade.

É o tempo de voltar para casa

E o inverno, qual o seu movimento?

No inverno a Natureza não morre, mas descansa... Os animais hibernam, as folhas caem, as plantas e flores morrem. As frutas suculentas agora são substituídas pelos tubérculos e raízes que nascem debaixo da Terra para nos darem energia e alimento nos tempos frios 
É uma bela metáfora para o processo que acontece no inverno: A vida externa se dissipa, e dá lugar a vida que cresce por dentro. É o momento de recolher-nos para o nosso interior, seja ele a sua casa ou a sua psique. No inverno, olhamos para dentro, do guarda-roupa e da alma. 

O que não me serve mais?

O que eu não quero mais da minha vida?

O que eu posso oferecer ao meu próximo?

O que eu quero acolher na minha casa, no meu interior?

O inverno é o tempo de voltar para casa.



É a época das campanhas de agasalhos, das doações de roupas e alimentos. Nós doamos o melhor que temos e recebemos o melhor do outro. E doamos a Terra o que não nos serve mais, pois a Terra transforma, a Terra cura e Ela sabe o que fazer. Yule pode ser resumido em Irmandade. É um tempo que devemos estar próximos daqueles que amamos. No ato de dar presentes no dia do Natal, é preservada a tradição pagã de presentear uns aos outros membros da comunidade, representando as bênçãos que o Deus Sol traz para a humanidade, e o fortalecimento dos laços da coletividade.
Nas comunidades primitivas era da irmandade que nascia o sustento para o inverno. Nenhuma pessoa sozinha conseguia viver nas épocas frias, uns dependiam dos outros. A comunidade era a família.
Aliás, família é outra palavra importante nesse momento. No inverno, as famílias passavam meses dentro de casa em volta da lareira, pois pisar para fora de casa com baixíssimas temperaturas poderia ser fatal. Era um exercício de convivência.

O lar, a família e a lareira são símbolos tradicionais de Yule.

O inverno pede que você dê um tempo de reverência a sua ancestralidade. Reveja seus parentes, ouça suas repetidas histórias de vida com o olhar novo e carinhoso de uma criança curiosa. Homenageie-os no seu altar, peça pela cura da sua hereditariedade, afinal, eles foram os alicerces da sua vida. Sem seus pais você não existiria. Sem seus avós, seus pais também não, e por aí vai. Procure fotos antigas, veja e reveja aqueles rostos antigos, que hoje formaram o traçado do seu. Esse é o momento
Ás vezes, a família que você mais se sente parte não é necessariamente a de sangue. Temos muitos pais e mães além daqueles que nos trouxeram fisicamente ao mundo. Eu tenho irmãs de pais diferentes, mães de quem não sou filha, e avós que não são da minha família, e tenho, com essas pessoas, laços familiares que talvez nunca terei com minha família genética. Reúna-se ao clã, é esse o chamado do inverno.

Além o inverno ser o momento de deixar os ventos frios levarem o que há de ruim, é o chamado de esperança: Não há inverno sem verão. Então porque não ir fiando e tecendo tudo o que você deseja para esse ano, para esse momento, ou para a sua vida? A tecelagem e a fiação eram atividades extremamente necessárias para o inverno. Roupas quentes para manter toda a "alcateia" viva.
E para você, o que é necessário para manter a sua chama divina interior acesa? Quais sentimentos bons te animam? Com quais pessoas você aprecia estar rodeado? Quais atividades ou hobbies te trazem a alegria e o gosto pela vida?
Traga de volta para si mesmo o gosto pela vida. Quando você deixou de aproveitá-la?
A Criança da Promessa pede que você re-avalie aqueles seus sonhos de quando era mais jovem, ou, quando era criança. Aqueles que você deixou que escapassem das suas mãos quando lhe disseram que era impossível de se realizar. O Deus de Alban Arthuan é a jovialidade e a inocência de uma criança. Ela é criativa, espontânea e espoleta, é uma criança que sonha. Dê um tempo para a sua criança interior se expressar. Sente vontade de dançar, brincar com crianças, cantar ou tomar banho de rio mesmo no frio (por favor gente, não estou insinuando nada rsrs) então o faça! Traga o Sol de volta para a sua vida.



No Solstício de Inverno, a Grande Mãe dá a luz ao Seu Filho, o Deus Sol na noite mais longa do ano, mas há um longo caminho a ser corrido pelo sol até que possamos finalmente sentir o seu calor e bênçãos no ápice do verão. No inverno, aquiete-se, recolha-se, sinta-se e ouça a sua voz interior. Sintonize-se com toda a simbologia e energia viva do inverno, os ciclos dos Deuses e da Natureza são os mesmos que os dos homens. Lembre-se do Princípio Hermético da Correspondência: O que está acima é como o que está abaixo, e o que está abaixo é como o que está acima. Deixe-se ser tomado pela energia da estação, e bom inverno à todos e todas.





You Might Also Like

0 comentários

Olá, seja bem vindo ao Bosque dos Deuses.
Se gostou do post, deseja abrir uma observação ou criticar algo, comente abaixo. Vamos adorar ler a sua opinião.

Siga por Email

A Lua de hoje

CURRENT MOON

Subscribe