Resenha- Os corvos de Avalon

11:25 AM




 Olá denovo, leitor!
Eu tenho que confessar que sou apaixonada por Marion Zimmer Bradley, nossa querida escritora de As Brumas de Avalon (outro livro que será resenhado futuramente no BDD) e procurando alguma coisa dela no site da Saraiva, achei Os Corvos de Avalon, não perdi tempo e encomendei o tal livro, e agora decido resenhá-lo para vocês. 
Clica ai em 'continue reading' e aproveite!




"Mas houve uma época em que uma mulher desafiou o poder de Roma e, durante um terrível e luminoso verão, a vitoria foi dela." - Os Corvos de Avalon. 



Ficha Técnica
Título- Os corvos de Avalon
Autor-Diana L. Paxson/Marion Zimmer Bradley
Editora-Rocco
Ano de publicação-2007 (EUA)
Páginas-480
Sinopse:
No centro de Os Corvos de Avalon está a conquista romana da Bretanha e a rebelião conduzida pela Rainha Boudica, a guerreira celta, e por Lhiannon, a sua jovem mentora na ilha dos Druidas.
Quando o exército do Império conquistou o reino Iceno, no século I D.C., Lihannon enfrentou-o enquanto Boudica acabou por se casar com Prasutagus, o Rei Supremo dos Icenos que governou como rei cliente de Roma. Boudicca e Presutagus viveram felizes até à morte deste, um acontecimento que mudou para sempre a vida daquela que se viria a tornar a Rainha Guerreira. Com a morte do marido, as terras Icenas foram definitivamente anexada ao Império, tendo Boudicca sido brutalizada e as filhas violadas.
Cheia de raiva e espírito de vingança, Boudica apela às tribos britãs e conduz o seu povo na resistência contra os exércitos ocupantes de Roma. Apesar do insucesso da rebelião, Lhiannon sobrevive e torna-se guardiã das tradições druidas na nova Bretanha Romana, como alta sacerdotisa da Casa da Floresta. Repleto de notáveis personagens femininas, que sempre habitaram a mítica ilha de Avalon, esta tão aguardada obra, que antecede A Casa da Floresta, é um portentoso épico que expande a saga lendária que encantou milhões de leitores por todo o mundo.

Atenção: O livro foi criado por Marion e Diana, e primeiramente seria escrito por Marion, mas antes de este ser publicado Marion morreu e foi dada continuidade ao livro por Diana.
-RESENHA-
No livro, a personagem principal é princesa icena Boudicca, ou Boadicea, que não é somente uma criação das duas escritoras, e sim uma verdadeira atuante na história da Bretanha, por volta do século 60 d.C, que lutou contra a invasão romana no que chamamos hoje em dia de Inglaterra.
Enfim, voltando ao livro.
Estátua em honra à Rainha Boudicca
Boudicca ainda garota, é levada para a ilha sagrada de Lys Deru, onde aprende os ensinamentos dos antigos druidas, e conhece Lhiannon, uma sacerdotisa que se encanta pela menina, e juntas tornam-se verdadeiras amigas. Passados alguns anos, Boudicca torna-se uma jovem mulher, quando é notificada que deve escolher entre voltar para casa, sabendo que deverá se casar com um pretendente desconhecido ou permanecer na ilha e continuar aprendendo sobre a religiosidade celta.
Ela se encontra em uma verdadeira encruzilhada, mas mesmo permeada de dúvidas sobre o que deveria fazer, mas apesar de ter certeza que a felicidade que tanto buscava não se encontraria em seu casamento, decide retornar a sua terra natal e curvar-se a seus deveres como princesa.
Boudicca volta para seus pais e depois de cerimônias de subordinação dos povos celtas que haviam sido derrotados pelo exército romano em uma batalha na tentativa de defender a costa da Bretanha, é dada em casamento a o atual rei dos icenos, o rei Prasutagos, cliente de Roma (outro personagem histórico). Boudicca dá a luz a duas filhas, e ao contrário do que ela havia esperado, Prasutagos e ela, vivem felizes em sua vida de casados transbordante de paz, amor e segurança, até pelo menos, Prasutagos morrer.
Boudicca, entra então, em desespero, e como se estivesse a beira de um precipício, recebe o reino inteiro em suas costas, tornando-se assim a rainha do povo Iceno. Os Romanos ficaram enfurecidos pois ao contrário dos celtas, não concordavam com a ideia de uma mulher se sentar no trono iceno, e resolvem assim retribuir 'a gentileza'.
Boudicca é violentada e obrigada a ver suas filhas serem estupradas em sua frente, por terríveis homens romanos. Novamente Boudicca é esculachada pelo seu destino, mas dessa vez, não lamenta e se deprime, como quando Prasutagos havia morrido. Boudicca, a rainha Icena, ergue-se em meio a sua dor e com a força e o poder de Morrighan (sim, a Deusa) vai de tribo em tribo reunir um exército celta jamais visto igual, que travam várias batalhas e empurram os romanos para fora da Bretanha. Porém na última e na maior batalha, ela perde, e como se não fosse suficiente, vê uma de suas filhas morrer.Assim, encravada de dor, e com o desejo de não terminar com seu legado, Boudicca suicida-se e banha a Terra que antes fora sua, com seu tão precioso sangue.

Pois é, pois é. Trágico, dramático e uma história pagã.
Apesar dos litros e litros de suor que derramei pelos olhos, eu simplesmente amei o livro, é difícil eu encontrar um livro que tenha a palavra 'avalon' no meio, que eu não me interesse. Sentia falta de livros de fantasia histórica, e gêneros parecidos, sobre o paganismo, mas quando descobri as histórias de Marion, minha percepção a respeito disso mudou um pouco. E o bom da coisa é que apesar de que existam poucos títulos falando sobre os assuntos, esses livros são realmente muito acessíveis. Poxa, até na biblioteca do meu colégio (que é cristão) eu encontrei a coleção completa das Brumas de Avalon, é só saber pesquisar.
Bom, falando sobre o livro em si.
Eu gostei do modo que Diana escreveu, mas confesso que tenho um apreço maior pelas descrições longas e detalhadas sobre cada acontecimento escrito, nos livros de Marion, que para mim não foram muito encontrados nos escritos de Diana. Mas isso não desfavorece o exemplar, é só uma pequena observação referente ao meu gosto pessoal.
Eu amei Os Corvos de Avalon, uma obra que permanece na minha lista de livros favoritos, principalmente pelo estreito contato e rituais pagãos com as divindades celtas, descritos no livro. A obra me encantou, como quando li A Senhora da Magia, o primeiro livro de As Brumas de Avalon e espero que encante você tanto quanto me encantou.

Exércitos de Março, em brilhante esplendorAo som da chamada de sangue e fogoLiderados pela defensora da BritanniaEles levantam contra o Império Romano
Boudicca,Rainha Guerreira da InglaterraComo teu noivo eu vou andar contigo
Suas filhas estupradas pelos invasoresSua família morta ao fio da espadaPomares contaminados pelos invasores romanosAgora ela tem sua corte vingativa
Caçador Chifrudo,é o nosso SalvadorA águia romana está voando alto no céuCaminho orgulhoso em favor de AndrasteSalve nossa terra de ser devorada pelo fogo
Na tres vezes maldita cidade de LondresA ira druida é desencadeada logoIncêndios flamejantes mancham o horizonteA foice da morte colhe o homem
Anda em um carro manchado de sanguePuxada por dois cavalos enormesEla é a filha do Deus ChifrudoPoria Roma abaixo de seus pés
Como eu, o teu marido vai te honrarEu tenho o meu juramento de posse em fogo de BeltanePara defender a minha terra para os próximos sete anosAntes de curvar a cabeça para morrerTodos os invasores serão testemunha agoraVerão como eu vou empunhar a lança do Deus SolAo lado de minha Rainha Guerreira vou correrAs legiões de Roma vão tremer de medoTestemunhar a glória do triunfo de Boudicca!
Mendes -O triunfo de Boudicca











You Might Also Like

0 comentários

Olá, seja bem vindo ao Bosque dos Deuses.
Se gostou do post, deseja abrir uma observação ou criticar algo, comente abaixo. Vamos adorar ler a sua opinião.

Siga por Email

A Lua de hoje

CURRENT MOON

Subscribe