Hekate, a portadora da tocha

4:52 PM


Bom, hoje escreverei sobre uma das muitas Deusas que acolheram-me em seus braços e guiaram meu caminho pelo paganismo. Acho justo escrever e disseminar conteúdo sobre Aquela que portou a tocha e guiou-me dentro de mim mesma, Aquela cujo poder não pode ser resumido em palavras e Seu carinho e compreensão de mãe encheram-me de devoção. 
Descubra mais sobre Hekate
Seu nome provém do grego Εκάτη (Hekátē), que significa Brilho distante, ou Aquela que fere de longe. É uma das mais misteriosas divindades gregas, cujos vestígios do culto foram escondidos no passado. Poucas são as evidências de possíveis "templos" a Deusa. Até mesmo seu parentesco é questionado, sendo ora apresentada como filha da titã Nyx, ora como de Perses e Astréia.
De acordo com as lendas, a Deusa filha de titãs, teve cinco filhos, sendo eles; Circe, Medéia,Aigialeus, Aeetes e Cila. 
Na Grécia matrifocal, Hekate era considerada uma Deusa ctônica, ou seja, uma divindade da Terra assim como Deméter. Inclusive tendo como um de seus epípetos "Ctônia" que significa literalmente "da Terra".
Contrariando a ideia principal de Hekate como Deusa obscura e anciã, esta era também uma Deusa tríplice da Terra. Tendo a maioria das pinturas apresentando-na como donzela e trajando vestes aparentemente tidas como roupas das quais as moças jovens utilizavam na época. Hekate também era a protetora das crianças, do parto, do nascimento, das casas, tida como Propylaia. Invocada no parto e na gestação da criança, até mesmo antes da guerra, quando se chamava pela proteção e acolhimento do guerreiro por Hekate.
Porém com o declínio do paganismo e a ascensão do cristianismo, esta passou a ser representada como uma deusa escura, padroeira das bruxas, seguidora do diabo, assim como diversas outras divindades, não só gregas mas também nórdicas (Walpurga por exemplo) celtas, romanas, nativas locais entre outros.
Hekate é a Deusa dos mortos, protetora dos reinos de Hades, Aquela que guia as almas com sua tocha. A parte escura da lua, Cultuada em encruzilhadas e trívias, por bruxas, que ali realizavam seus rituais e suas honras, por viajantes que invocavam a luz de sua tocha nas viagens, e no campo, por agricultores que pediam suas bênçãos nas plantações. Hekate comanda os espíritos, a magia, a sabedoria, assim como os bens materiais, e a fertilidade da Terra. Não era governada por nada nem ninguém, apenas por Ela mesma. Zeus concedeu-a o domínio sobre a Terra, o Céu e o mar, sendo reverenciada pelo próprio Deus, que jurou-lhe que tudo que era ofertado aos Deuses, sem ser especificado a quem, era de Seu domínio, incluindo as almas que escolheram não encarnar e servir de comunicadores entre os Deuses e os vivos, (Daemones)
Hekate teve sua primeira aparição escrita no mito de Deméter e Perséfone.
O mito descreve o rapto de Perséfone de sua mãe por Hades. Deméter auxiliada por Hekate, penetra no submundo a procura da filha raptada. Após a tentativa sem sucesso de devolver Perséfone à Terra, Deméter recorre a Zeus, que lhe promete que se Perséfone não houvesse degustado de nenhum alimento em sua estadia no Tártato, poderia retornar a Terra, e a sua mãe. 
Deméter volta ao submundo, mas Perséfone, persuadida e influenciada por Hades, come seis sementes de romã. Zeus então decide que por Perséfone se alimentar de seis sementes da romã, deveria de ficar seis meses no submundo. 
Perséfone aceita, e assim acontece. Nos seis meses em que Perséfone está no Submundo, Deméter chora a perda de sua filha, e Hekate governa em seu lugar. Quando esta retorna, a mãe celebra assim como a Terra lamenta e comemora a filha da Deusa. 

Sua manifestação como Deusa da Lua Nova refere ao nosso subconsciente, e também a nossa sombra. Não como algo ruim, mas um complemento, a Ordem e o Caos, que atuam equilibrando-nos, Hekate nos ensina a não temer a morte, pois assim como Ela governa a morte, preserva o renascimento, a vida nova. Sendo a morte nada mais nada menos do que uma passagem, um adentramento ao útero da Mãe, a espera do renascimento. 
Como Senhora das Máscaras Hekate nos ensina a questionar as facetas e disfarces que vestimos para esconder a nós mesmos e a nossa sombra. Aceitar nossos erros,sem escondê-los em máscaras é a lição de Hekate. Assim como compreender essa passagem que é a Morte.
Com sua tocha, Ela purifica e queima nossos pensamentos e memórias negativas que nos impedem de ir para frente. Uma Deusa que cura interna e externamente.
Hekate é aquela que nos guia no nosso submundo, pode ser ele um momento da vida, uma pessoa, alguma situação. Ela corta a ilusão, retira a máscara, nos apresenta abruptadamente a nós mesmos, 
Hékate, estátua do museu de Glyptothek, Munique, Alemanha.
Na Grécia Antiga, Hekate era reverenciada diversas vezes por epípetos, invocados de acordo com suas qualidades. Dentre eles são:
Aidonaia- Senhora de Hades
Krateis- Poderosa
Ctônia- da Terra
Brimo- A Terrível
Kleidouchos- Senhora das chaves
Artemísia das encruzilhadas
Kourotrophe- Enfermeira dos jovens
Hekateris- das mãos dançantes
Zerynthia- Senhora do Zerynthos
Perseis- Filha de Perses
Phosphoros- Aquela que traz a luz
Soteira- A salvadora
Propylaia- A protetora das casas, crianças, famílias
Enodia- dos caminhos
Antonia- A inimiga da humanidade 
Curotropha- Ama dos jovens
Propolos- Aquela que dirige
Trioditis- dos três caminhos
Triformis- das três formas
Tricéfala- de três cabeças


                                              Rituais

Deipnon de Hekate
RHB Brasil
O Deipnon de Hécate acontece na noite mais escura, honrando a "Portadora da Luz" com uma doação de comida nas encruzilhadas. É um tempo de purificação de si e do lar.

As ofertas mais comuns neste dia são pão, queijo, figos, azeitonas, carne, ovos, alho, alho-poró. Você também pode varrer sua casa, ofertar as coisas que não quer que continuem no mês que vai entrar, limpar o refrigerador, arrumar a despensa, pagar as dívidas, se entender com quem você está brigado, e tudo o mais que sirva para "virar a página".
(o ritual completo se encontra aqui


Dia de Hekate
13 de agosto
O dia 13 de Agosto é consagrado a Hekate, e o nome da Deusa é celebrado no mundo inteiro. Não existe um ritual específico para a comemoração desta data, uma simples vela acesa em sua honra, ou um ritual complexo e organizado, contam como celebração.
Oferendas comuns em Seu nome incluem, alho, artemísia, velas, incenso de olíbano, pelos de cães pretos (o sacrifício de animais na Grécia em Seu nome eram uma realidade, porém hoje em dia eu simplesmente não vejo a necessidade de matar um animal para Ela. Em vez de honrá-la com uma morte, porque não reverenciá-la como uma vida?) escamas de cobra, representações Dela (estátuas, desenhos, pinturas...) libações de vinho, danças etc.


Rites of Her Sacred Fires
Uma iniciativa de Sorita d'Este de realizar um ritual internacional, com o intuito de celebrar os mistérios de Hekate, que ocorreu pela primeira vez em Maio de 2010.
Para mais informações consulte o site www.hekateconvenant.com, este é em inglês, mas você pode pegar o ritual traduzido aqui

Anexos

Venha a mim, ó amada senhora, Hécate de três faces,
Gentilmente ouça meus cantos sagrados.
Tu armas tuas mãos com terríveis e sombrias tochas,
Tu sacodes teus cachos de temíveis serpentes em tua testa,
Tu soas como o bramido de touros saindo de tua boca.
Ferozes cães são queridos a ti, onde quer que te chamem
Hécate, de muitos nomes, Mene (Lua) que fende o ar como
Ártemis que atira dardos, Perséfone,
Atiradora de cervo, noite, brilhante, trissonante,
Selene, de três cabeças, de três vozes,
De três pontas, de três faces, de três pescoços,
E deusa dos triplos caminhos, que segura
A incansável chama em cestos triplos,
E tu que constantemente frequenta o triplo caminho
E rege as triplas décadas,
A mim que te chamo
Seja graciosa e com gentileza dê atenção;
Tu que proteges o espaçoso mundo à noite,
Diante de quem os daimones (espíritos) tremem de medo
E os Deuses imortais estremecem; Deusa que
Exalta os homens, tu de muitos nomes, mãe dos Deuses
E dos homens e da Natureza, Mãe de todas as coisas,
Pois tu frequentas o Olimpo, e o largo caos sem fronteiras
Tu atravessas. No começo e no fim tu estás,
E somente tu reges tudo.
Pois todas as coisas vêm de ti, e em ti
Todas as coisas, Eterna, chegam a seu final.
Saúdo-te, Deusa, e, observando teus epítetos,
Queimo para ti este incenso.

(Tradução de Alexandra)
Hino órfico a Hekate

À Hécate dos três caminhos / e encruzilhadas eu canto; 
No céu, na terra e no mar, / de açafrão é seu manto. 
Nas tumbas celebrando Baco, / se une às almas dos mortos; 
Filha de Perses, solitária, / ela se delicia em cervos. 
Irresistível rainha, / à noite ela os cães assiste; 
Em grito às feras, desarmada, / a ela ninguém resiste. 
Rainha e senhora do mundo, / de touro é sua tiara; 
Líder das chaves, cuidadora, / pelas montanhas ela caça. 
Seja presente, ó donzela, / em prece aos sagrados ritos; 
Ao devoto sê propícia, / ó sempre alegre espírito.















You Might Also Like

0 comentários

Olá, seja bem vindo ao Bosque dos Deuses.
Se gostou do post, deseja abrir uma observação ou criticar algo, comente abaixo. Vamos adorar ler a sua opinião.

Siga por Email

A Lua de hoje

CURRENT MOON

Subscribe