ARADIA

8:15 AM


==DEUSES PAGÃOS===
ARADIA, A RAINHA DAS BRUXAS

Aradia, é na tradição de bruxaria italiana-Stregheria- a perpetuadora do culto de sua mãe, a Deusa Diana, e é vista como a Rainha dos céus e terra. Sua existência histórica é duvidosa, poucos fatos indicam sua vida e estes, estão escondidos ainda entre os documentos e arquivos da inquisição em Como, na Itália.



Da união de Lucifer (lembrando que não falamos da versão cristã do anjo caído endemionado) e Diana, nasce Aradia que é levada a Terra por sua Mãe que dá a filha a missão de propagar os ensinamentos da Antiga Religião, da liberdade, do amor universal por tudo e por todos os seres.
Aradia viveu nos montes de Alban e em florestas próximas ao lago Nemi na Itália, com os escravos que haviam se libertado de seus senhores.
Entre os refugiados e os explorados pelos senhores feudais, Aradia pregava a liberdade e o culto a Antiga Religião da Deusa, deu-lhes o devido valor, ensinou-lhes a ter amor próprio e a praticá-lo com os semelhantes. Aradia os harmonizou com as energias da natureza, as luas e os ritos sazonais até que o Tribunal da Santa Inquisição teve conhecimento de suas práticas impuras e incitadas pelo demônio, perseguindo-a e aprisionando finalmente a 'Rainha das Bruxas'. Torturada, foi sentenciada a morte, porém o desfecho se abre quando no momento da execução, Aradia não se encontra em sua cela. Encontrou-se com o povo e continuou a pregar, mesmo sabendo que estava sendo ainda perseguida pela igreja, que a apanhou novamente. Em uma de suas conversas com o padre inquisidor, foram proferidas suas memoráveis palavras:

-"Você só traz a punição para àqueles que se livraram da Igreja e da escravidão. Estes símbolos e roupa de autoridade que veste, só servem para esconder a nudez que nos faz iguais. Você diz que serve a um deus, mas você serve somente a seus próprios medos e limitações"
Sentenciada à morte pela segunda vez, escapa e retorna às montanhas e a seus discípulos dos quais recebem seus últimos ensinamentos, e antes de partir ao Leste, entrega-lhes um escrito, cujo título não era nada mais nada menos do que a Carga da Deusa, onde descrevia os rituais e cerimônias de culto à Grande Mãe.Antes de partir, instruiu seus seguidores para recordá-la compartilhando vinho e bolos nos cerimoniais sagrados. Prometeu, que todo aquele que clamasse por Diana, sua mãe, e por ela, receberiam muitas graças e seriam abençoados.

-Parte histórica
Pelas tradições orais referentes a Arádia, com base na Antiga religião da Itália, sabe-se que Ela viveu e ensinou durante a última metade do século XIV. O inquisidor italiano Bernardo Rategno documentou em seu Tractatus di Strigibus (escrito em 1508 d.C.) que uma "rápida expansão" da "seita das Bruxas" tinha começado 150 anos antes de sua época. Ratgeno estudou muitas transcrições referentes à Bruxaria nos julgamentos da Inquisição e pesquisando através dos anos, ressaltou o começo dos julgamentos de Bruxas, notando um rápido aumento deles por um período de ano. Seguindo um detalhado estudo desses registros (mantidos nos Arquivos da Inquisição em Como, Itália), Ratgeno fixou a época deste reflorescimento das Bruxas por volta de 1358, a última metada do século XIV.

No séc. XIV, Aradia ensinou que os poderes "tradicionais" de uma Bruxa pertenceriam àqueles que seguissem a Velha Religião. Ela os chamou de Dons, porque ela colocava que são apenas "um adicional" aos poderes de uma verdadeira bruxa, e não a razão pela qual alguém deveria se tornar uma bruxa.

Seu símbolo, após sua partida era, e ainda é, a Chama Sagrada que é acesa no meio do altar. Ela é o fogo perene de seus ensinamentos e de nossa ligação com o Espírito do Caminho Antigo.

Seus discípulos também foram perseguidos e muitos mortos e acredita-se que os pergaminhos, nos quais seus ensinamentos foram registrados, trancados no Vaticano. Alguns documentos históricos indicam a passagem de uma mulher peregrina pelo norte da Itália e indicam que talvez ela tenha passado seus últimos anos na Romênia.

Os ensinamentos de Aradia têm um cunho de simples entendimento e observação completa da Natureza. Ela fala sobre a Deusa Diana e o Deus Dianus ou Lúcifer; discorre como a Natureza é a maior de todas as professoras; deixa para os camponeses o valor e a importância do casamento baseado no amor e no respeito; sobre a força da sexualidade e sua magia; ela deixa um alerta sobre os cristãos, um cuidado que deveria ser tomado naquele momento de perseguição; e deixa um elenco de 13 "conselhos", que são conhecidos como "Covenant of Aradia": visando a convivência harmoniosa entre todos os seres da Criação.
Aradia é considerada uma "Avatar" feminina; uma Deusa que encarnou na Terra para trazer a liberdade para as classes oprimidas pelo clero e pela nobreza. Sua história foi contada de geração em geração pelos Clãs e famílias de Streghe. Parte de sua história pode ser encontrada na obra do folclorista Charles G. Leland, Aradia, Il Vangelo delle Streghe Italiane.

Aradia era a doutrinadora da Antiga Religião da Deusa e também a protetora das bruxas. Era uma Deusa intelectualizada com a chama de uma Amazona em seu interior. É uma Deusa associada com a Lua Cheia, apresentando o espírito de uma "Donzela", somada à habilidade e presteza herdada de sua Mãe Diana e também a sabedoria de uma "Anciã".

Aradia é um símbolo para as bruxas atuais. Através de seus ensinamentos nós nos transformamos e nos unimos ao céu, à terra, à lua e ao universo.
*Parte histórica retirada do blog A ALTA SACERDOTISA

You Might Also Like

0 comentários

Olá, seja bem vindo ao Bosque dos Deuses.
Se gostou do post, deseja abrir uma observação ou criticar algo, comente abaixo. Vamos adorar ler a sua opinião.

Siga por Email

A Lua de hoje

CURRENT MOON

Subscribe